Histórico do periódico

Lançada em 2005, a Brazilian Journalism Research é a revista científica editada pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), com periodicidade bi-anual e de livre acesso na Internet.

A BJR sempre teve uma preocupação com a internacionalização da pesquisa brasileira. Ainda nos primeiros números, a revista já era editada em inglês.  Será somente a partir do volume 2.2008 que a BJR passará a ser bilínge, sendo publicada simultaneamente em inglês e português. É neste ano também que ela passa a circular exclusivamente pela internet

Esta opção se traduz na abertura da revista a pesquisas produzidas em outros contextos nacionais. Em onze anos (de 2005 a 2015), foram publicados 245 artigos originais, sendo que 31% deles foram produzidos por pesquisadores de universidades estrangeiras.

A revista também aumentou o número de artigos publicados: de seis para um mínimo de 12 por edição. Isso não afetou a qualidade da publicação, que conta com uma taxa de rejeição média de 40% dos artigos submetidos.

A partir de 2008, a revista iniciou um processo de indexação em bases de dados. Atualmente a revista está indexada em 18 bases e repositórios, tanto multidisciplinares como exclusivos para periódicos de Ciências Sociais: Academic Journals Database, Diadorim, Directory of Open Access Journals - DOAJ, Ebsco Communication Source Collection, Emerging Sources Citation Index (Web of Science), EZB (Elektronische Zeitschriftenbibliothek), Latindex, LivRE, Periódicos Capes, REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico), Reviscom, Scopus, Sherpa/RomeoSocial Science Database (ProQuest), Sudoc, Sumários.Org, WordCat

A partir de 2013 a BJR começa a publicar textos em espanhol, que vão dividir espaço com a edição em português do periódico. Nesse ano, os resumos em espanhol também se tornam obrigatórios para todos os artigos publicados no periódico. Outra novidade foi a inclusão da BJR na lista de periódicos recomendados pela Agence d'évaluation de la recherche et de l'enseignement supérieur (AERES) na França, no domínio de Ciências da Informação e da Comunicação.

O ano de 2014 marca o décimo aniversário da revista. Para promover ainda mais a sua internacionalização, a BJR passa a trabalhar em fluxo contínuo. Outra mudança é a ampliação de seu corpo de colaboradores/as. Além dos inúmeros/as pareceristas, revisores/as, tradutores/as, a BJR abre-se para pesquisadores/as de renome na área que tenham interesse em propor Dossiês sobre temáticas específicas, assumindo a tarefa de incentivar a publicação de artigos inéditos de autores/as do Brasil e exterior.

A partir de 2017 a BJR tornou-se quadrimestral, passando a publicar três edições por ano (abril, agosto e dezembro). Nesse ano, ela também adotou a APA como norma de citações, alinhando-se aos padrões de outros periódicos de referência internacional.

Em 2018, a BJR foi aceita para indexação nas bases Scopus, Emerging Sources Citation Index (Clarivate Analytics), Social Science Database (ProQuest) e REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico).