The “Young Black Man” in the Photo: The Production of Meaning in Reader Comments from the El País Newspaper

Thaís Furtado, Juliana Doretto

Resumo


The image of a shirtless black child in Copacabana watching the New Year’s Eve fireworks, published by photographer Lucas Landau on his Facebook page, was a focus of controversy across social media and produced a number of different interpretations about both the photograph and the boy in it. The Brazilian edition of the Spanish newspaper El País produced two texts on the subject, both of which brought about varying comments from Facebook users. Using the French discourse analysis as a basis, this article analyzes interpretations expressed about the texts published in El País. The goal was to understand social perceptions of the current conception of childhood by analyzing the reactions conveyed in the comments. Our research showed us that the kid’s individuality goes undisclosed and he becomes a platform for sociopolitical discussions. This is quite common in journalism and how it represents contemporary childhood: the role of children as active social actors is disregarded, and they are simply portrayed as being in need of protection.

A imagem publicada pelo fotógrafo Lucas Landau em sua página no Facebook, mostrando um menino negro, sem camisa, vendo a queima de fogos no réveillon de Copacabana, causou polêmica nas redes sociais, com diferentes interpretações sobre a fotografia e a criança retratada. O jornal espanhol El País, em sua versão brasileira, produziu dois textos sobre o assunto, os quais, por sua vez, também geraram vários comentários de usuários da rede Facebook, no perfil da publicação. Por meio da análise do discurso de linha francesa, este artigo analisa essas manifestações, que exprimem a recepção dos textos do El País. O objetivo foi compreender as percepções sociais da concepção contemporânea de infância, por meio das reações dos comentadores. Pelo estudo, percebe-se que o garoto tem sua individualidade suprimida e se torna “palco” para discussões sociopolíticas. Isso reflete o que se tem visto de forma geral nas representações da infância no jornalismo: o papel das crianças como atores sociais ativos é ignorado, e elas são mostradas somente como seres tutelados.

La imagen publicada por el fotógrafo Lucas Landau en su página del Facebook, mostrando a un niño negro, sin camisa, viendo la quema de fuegos en el año nuevo, en Copacabana, causó polémica en las redes sociales, con diferentes interpretaciones sobre la fotografía y el niño retratado. El diario español El País, en su versión brasileña, produjo dos textos sobre el tema, los cuales, a su vez, también generaron varios comentarios de usuarios de la red Facebook, en el perfil de la publicación. Este artículo hace un análisis de esas manifestaciones, que expresan la recepción de los textos de El País, por medio del análisis del discurso de línea francesa. El objetivo fue comprender percepciones sociales de la concepción contemporánea de la infancia, por medio de las reacciones de los comentaristas. Por medio del estudio, se percibe que el chico tiene su individualidad suprimida y se convierte en “escenario” para discusiones sociopolíticas. Esto refleja lo que se ha visto de forma general en las representaciones de la infancia contemporánea en el periodismo: el papel de los niños como actores sociales activos es ignorado, y ellas son mostradas sólo como seres tutelados.

Palavras-chave


Childhood; Journalism; Reader Participation; Reception; Discourse analysis

Texto completo:

PDF (English) PDF (PT)

Referências


Barbero, J. M. (2001). Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ.

Benetti, M. (2007). Análise do discurso em jornalismo: estudo de vozes e sentidos. In: C. Lago & M. Benetti, Marcia (Eds.), Metodologia de pesquisa em jornalismo (pp. 107-122). Petrópolis: Vozes.

Berger, C. (1996). Em torno do discurso jornalístico. In: A. Fausto Neto & M. Pinto (Eds.) O indivíduo e as mídias (pp. 188-193). Rio de Janeiro: Diadorim.

Buckingham, D. (2000). Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo: Edições Loyola.

Caminada, T. (2015). Erro jornalístico nos comentários das redes sociais: interações entre leitores e veículos. (Master Thesis). Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Jornalismo, Florianópolis, SC, Brasil.

Carpentier, N. (2012). The concept of participation. If they have access and interact, do they really participate? Fronteiras – estudos midiáticos, 14 (2), pp. 164-177. Retrieved from revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/download/fem.2012.142.10/1001.

Doretto, J. (2018). A participação das crianças no jornalismo infanto juvenil português e brasileiro. Famecos, 25(1), ID27327-26. http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2018.1.27327

Doretto, J. & Costa, R. (2012). C. O mundo da infância e a infância no mundo: vozes de crianças nas revistas brasileiras Veja e Época. Rumores (USP), 6 (2), pp. 146-169. https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2012.55298

Doretto, J.; Furtado, T. (2017) A “invasão” das crianças no discurso jornalístico: a representação não desejada da infância. Anais do 15º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, São Paulo, Brasil. Retrieved from www.e-compos.org.br/e-compos/article/viewFile/1471/1037.

Dubinsky, K. (2012). Children, Ideology, and Iconography: How Babies Rule the World. The Journal of the History of Childhood and Youth, 5 (1), 5-13. 10.1353/hcy.2012.0009

Escosteguy, A. C. D. (2009). Quando a recepção já não alcança: os sentidos circulam entre a produção e a recepção. E-Compós: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 12 (1). Retrieved from www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/348/318.

Figaro, R. & Grohmann, R. (2017). A recepção serve para pensar: um “lugar” de embates. Palabra Clave, 20 (1), pp. 142-161. http://dx.doi.org/10.5294/pacla.2017.20.1.7

Foucault, M. (1996). A ordem do discurso. São Paulo: Loyola.

Foucault, M. (1995). Arqueologia do saber (4th ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Furtado, T. H. (2013). O jornalismo infantil e o desejo de consumo: o discurso da revista Recreio. (PhD Dissertation). Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Porto Alegre, RS, Brasil.

Gomes, M. R. (2000). Jornalismo e ciências da linguagem. São Paulo: Hacker Editores/Edusp.

Graham, T. (2013). Talking back, but is anyone listening? Journalism and comment fields. In C. Peters & M. Broersma (Eds.), Rethinking Journalism: Trust and participation in a transformed media landscape (pp. 114-127). New York, N.Y: Routledge.

Indursky, F. (1997). A fala dos quartéis e outras vozes. Campinas: Ed. Unicamp.

Orlandi, E. (2000). Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes.

Orlandi, E. (1996). Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes.

Pêcheux, M. (1995). Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio (2nd ed.). Campinas: Ed. Unicamp

Pêcheux, M. (1993). A análise de discurso: três épocas (1983). In F. Gadet & T. Hak (Eds.), Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux (pp. 311-319). Campinas: Ed. Unicamp.

Pêcheux, M. & Fuchs, C. (1993). A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas (1975). In F. Gadet & T. Hak (Eds.), Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux (pp. 163-252). Campinas: Ed. Unicamp.

Ponte, C. & Afonso, B. (2009) Crianças e jovens em notícia: análise da cobertura jornalística em 2005. In: C. Ponte (Ed.), Crianças e jovens em notícia (pp. 29-46). Lisboa: Livros Horizonte.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v15n1.2019.1149

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.