TRAFFICKING AND PROSTITUTION OF BRAZILIAN WOMEN IN PORTUGAL: the journalistic discourse between the stereotyping and the victimization

Ester Amaral de Paula Minga

Resumo


In the beginning of this century, the human trafficking received wide attention in Portugal, which developed several actions to reinforce the legislation in this area. Not by coincidence, this attention is contemporary with the consolidation of the country as a receiver place, which indicates its inextricable relation with migration phenomenon. In this article, we purpose to analyze the representation of human trafficking for sexual exploitation – one of the most prominent vectors of this criminal practice –, in the journalistic discourse about Brazilian women immigrant’s prostitution. However, the Brazilian woman’s image that emerged in the news about prostitution, following the “Mothers of Bragança” case, in 2003, privileged the stereotyping, put in the background issues about trafficking and exploitation (Correia, 2014). Analyzing some texts of Público and Expresso newspapers published during these years, we observe an erratic route which sometimes privileges a sensational tone, and sometimes pay attention to the exploitation and trafficking issues, reflecting in this way the inconsistency found in the law about the theme.

No início deste século, a problemática do tráfico de pessoas recebeu ampla atenção em Portugal, que empreendeu sucessivas ações de reforço legislativo neste âmbito. Não por acaso, esta atenção é contemporânea à consolidação do país como local de acolhimento, o que indica sua relação inextricável com o fenômeno migratório. Neste artigo, propomo-nos a analisar a representação do tráfico de pessoas para fins de exploração sexual – um dos vetores mais pronunciados desta prática –, a partir do discurso jornalístico sobre a prostituição de imigrantes brasileiras. Todavia, a imagem da brasileira que emergiu das reportagens sobre prostituição, em seguimento ao caso “Mães de Bragança”, em 2003, privilegiou a estereotipização, pondo em segundo plano a questão do tráfico e da exploração
(Correia, 2014). A partir da análise a algumas peças dos jornais Público e Expresso ao longo destes anos, observamos um percurso errático em que ora se privilegia a linguagem sensacionalista, ora se enfoca a questão da exploração e do tráfico, refletindo assim a inconsistência verificada na legislação devotada ao tema.

A principios de este siglo, el problema de la trata de personas ha recibido amplia atención en Portugal, que libró sucesivas acciones de fortalecimiento legislativo en la materia. No por casualidad, esta atención es contemporánea a la consolidación del país como lugar de acogida, lo que indica su relación inextricable con el fenómeno migratorio. En este artículo nos proponemos analizar la representación del tráfico de personas con fines de explotación sexual – uno de los vectores más pronunciados de esta práctica –, a partir del discurso periodístico sobre la prostitución de inmigrantes brasileñas. Sin embargo, la imagen de la brasileña que emergió de los reportajes sobre prostitución, en seguimiento al caso “Madres de Bragança”, en 2003, privilegió la estereotipización, poniendo en segundo plano la cuestión del tráfico y de la explotación (Correia, 2014). A partir del análisis a algunos textos de los periódicos Público y Expresso a lo largo de estos años, observamos una ruta errática en que por veces se privilegia el lenguaje sensacionalista y por veces se enfoca la cuestión de la explotación y del tráfico, reflejando así la inconsistencia verificada en la legislación dedicada al tema.


Palavras-chave


Brazilian immigrant women, Human trafficking, Journalism, Portugal, Prostitution

Texto completo:

PDF (English) PDF(PT)

Referências


Bosco, F. (2017). A vítima tem sempre razão? Lutas identitárias e o novo espaço público brasileiro. São Paulo: Todavia.

Brito, B. M. J., & Rosas, F. (1996). Dicionário de História do Estado Novo (Vol. I). Lisboa: Bertrand Editora.

Castelo, C. (1988). O modo português de estar no mundo. O lusotropicalismo e a ideologia colonial portuguesa (1933–1966). Porto: Edições Afrontamento.

Correia, C. J. (2014). Dez anos depois de Bragança, a representação da mulher brasileira nos media. Verso e Reverso, 28(69), 186–192. Retrieved from revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/ver.201

Correia, C. J. (2008). Identidades e Realidades Múltiplas: Os Estranhos no Meio de “Nós”. In P. J. Esteves (Ed.), Comunicação e Identidades Sociais (pp. 131–154). Lisboa: Livros Horizonte.

Cunha, I. F. (2005). A mulher brasileira na televisão portuguesa. In A. Fidalgo & P. Serra (Eds.), Actas do III Sopcom, VI Lusocom e II Ibérico (vol. III) (pp. 535–553). Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Craveiro, C., & Carvalho, C. (2017). A um passo da branquitude: o que dizem os corpos das mulatas brasileiras. Interfaces Científicas – Humanas e Sociais, 6(2), 65–76. DOI: 10.17564/2316-3801.2017v6n2p65-76

Duarte, M. (2012). Prostitution and Trafficking in Portugal: Legislation, Policy, and Claims. Sexuality Research and Social Policy, 9(3), 258–268. DOI: 10.1007/s13178-012-0093-2

Entman, R. M. (1993). Framing: Toward Clarification of a Fractured Paradigm. Journal of Communication, 43 (4), 51–58. DOI: 10.1111/j.1460-2466.1993.tb01304.x

Feldman-Bianco, B. (2001). Brazilians in Portugal, Portuguese in Brazil: constructions of sameness and difference. In B. Feldman-Bianco (Ed.), Colonialism as a continuing project: The Portuguese Experience (pp. 607 –650). Identities: Global Studies in Culture and Power.

Freyre, G. (2003). Casa grande & senzala (48° ed.). São Paulo: Global. Malheiros, M. J. (2007). Os brasileiros em Portugal – a síntese do que sabemos. In J. M. Malheiros (Ed.), Imigração brasileira em Portugal (pp. 11–38). Lisboa: Alto Comissariado para Imigração e Diálogo Intercultural – ACIDI.

Machado, I. J. R. (2003). Cárcere público: processos de exotização entre imigrantes brasileiros no Porto (doctoral dissertation, Universidade Estadual de Campinas). Biblioteca Digital Unicamp.

Hall, S. (1990). Cultural identity and diaspora. In J. Rutherford (Ed.), Identity: Community, culture, difference (pp. 227–237). London: Lawrence & Wishart.

Lippmann, W. (1998). Public Opinion (2° ed.) New York: Macmillan.

Moscovici, S. (1988). Notes towards a description of Social Representation. European Journal of Social Psychology, vol. 18, 211–250. DOI: 10.1002/ejsp.2420180303

Noelle-Neumann, E. (1991). The Theory of Public Opinion: The Concept of the Spiral of Silence. Annals of the International Communication Association, 14(1), 256–287. DOI: 10.1080/23808985.1991.11678790

Padilla, B. (2007). A imigrante brasileira em Portugal: considerando o género na análise. In M. J. Malheiros (Ed.), Imigração brasileira em Portugal (pp. 113-134), Lisboa: Alto Comissariado para Imigração e Diálogo Intercultural – ACIDI.

Pan, Z., & Kosicki, M. G. (1993). Framing analysis: An Approach to News Discourse. Political Communication, 10, 55–75. DOI: 10.1080/10584609.1993.9962963

Pais, J. M. (2010). “Mães de Bragança” e Feitiços: Enredos Luso-Brasileiros em Torno da Sexualidade. Revista de Ciências Sociais, 41(2), 9–23. Retrieved from www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/view/455

Piscitelli, A. (2008). Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, 11(2), 263–274. DOI: 10.5216/sec.v11i2.5247

Santos, B. S., Gomes, C., & Duarte, M. (2009). Tráfico sexual de mulheres: Representações sobre ilegalidade e vitimação. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 87, 69–94. DOI: 10.4000/rccs.1447

Simões, R. B. (2018). News Media Power and Public Policy: the mediatized construction of women trafficking for sexual exploitation. Brazilian Journalism Research, 14(1), 130–151. DOI: 10.25200/BJR.v14n1.2018.1039

Teo, P. (2000). Racism in the news: a critical discourse analysis of news reporting in two australian newspapers. Discourse & Society, 11(1), 7–49. Retrieved from www.jstor.org/stable/42888294

van Dijk, T. A. (2002). Cognição, discurso e interação. São Paulo: Contexto.

van Dijk, T. A. (2005). Discurso, Notícia e Ideologia. Estudos na Análise Crítica do Discurso. Porto: Campo das Letras.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v16n2.2020.1168

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.