THE QUESTION OF THE OTHER IN TELEJOURNALISM: notes on ways of representation of alterity in in-depth reporting

José Augusto Mendes Lobato

Resumo


This article aims to discuss the processes of representation of the other in interpretative journalistic television narratives. In particular, we focus on in-depth reporting and its potential of construction of what we call narratives of alterity – cultural texts that lead us, at the same time, towards the discovery of the unknown and its familiarization. Anchored in the sciences of language and studies on journalistic genres, as well as in results of a research on techniques of construction of alterity in television, we propose an analytical approach by categories of difference (geographical and sociocultural) and representation strategies (the construction of borders, the authentication and production of the effect of reality, and the interaction between fictionalization and factualization). Once combined, these axes offer tools for analyzing the formation of discourses of alterity in contemporary telejournalism.


Este trabalho tem como objetivo discutir os processos de representação do outro em narrativas televisuais jornalísticas de caráter interpretativo. Em específico, lançamos foco sobre a grande reportagem e seu potencial de construção do que denominamos narrativas de alteridade – textos culturais que nos conduzem, a um só tempo, rumo à descoberta do desconhecido e à familiarização. Ancorados nas ciências da linguagem e em estudos sobre gêneros jornalísticos, bem como em resultados de uma pesquisa sobre técnicas de construção da alteridade na televisão, propomos um enfoque de análise por categorias da diferença (geográfica e sociocultural) e estratégias de representação (a construção de fronteiras; a autenticação e produção do efeito de real; e a interação entre ficcionalização e factualização). Combinados, esses eixos oferecem chaves de análise para a formação de discursos associados à alteridade no telejornalismo contemporâneo.


Este trabajo tiene como objetivo discutir los procesos de representación del otro en narrativas televisivas periodísticas interpretativas. En específico, ponemos foco en el gran reportaje y su potencial de construcción de lo que denominamos narrativas de alteridad - textos culturales que nos conducen, a la vez, hacia el descubrimiento de lo desconocido y la familiarización. Basados en las ciencias del lenguaje y en estudios sobre géneros periodísticos, así como en resultados de una investigación sobre técnicas de construcción de la alteridad en la televisión, proponemos un enfoque de análisis por categorías de diferencia (geográfica y sociocultural) y estrategias de representación (la construcción de fronteras, la autenticación y la producción del efecto de real y la interacción entre la ficcionalización y la factualización). Combinados, estos ejes ofrecen claves de análisis para la formación de discursos asociados a la alteridad en el tele-periodismo contemporáneo.


Palavras-chave


Journalism; Alterity; Representation; Television; Narratives

Texto completo:

PDF (English) PDF (PT)

Referências


Allan, S. (2014). O jornalismo e a cultura da alteridade. Brazilian Journalism Research, 10(2), p.188-205. DOI: 10.25200/BJR.v10n2.2014.748

Barthes, R. (1973). Análise estrutural da narrativa. São Paulo: Vozes.

Barthes, R. (1988). O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense.

Beltrão, L. (1976). Jornalismo interpretativo: filosofia e técnica. Porto Alegre: Sulina.

Benedeti, C. A. (2009). A qualidade da informação jornalística: do conceito à prática. Florianópolis: Insular.

Bhabha, H. (1998). O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG.

Chiarioni, B. (2017). A escritura da presença na crônica televisual de Fernando Gabeira. (doctoral dissertation). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. Retrieved from https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20485

Coutinho, I. (2012). Dramaturgia do telejornalismo. Rio de Janeiro: Mauad X.

Eco, U. (1994). Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras.

Elias, N., & Scotson, J. L. (2000). Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Faro, J. (2013). Reportagem: na fronteira do tempo e da cultura. Verso e Reverso, 27(65), 77-83. Retrieved from http://revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/ver.2013.27.65.02

Farré, M. (2004). El noticiero como mundo posible. Buenos Aires: La Crujia.

Foucault, M. (1996). A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola.

França, V. (2006). Narrativas televisivas: programas populares na TV. Belo Horizonte: Autêntica.

Gomes, M. R. (2000). Jornalismo e ciências da linguagem. São Paulo: Edusp e Hacker Editores.

Gomes, M. R. (2003). Poder no jornalismo. São Paulo: Edusp e Hacker Editores.

Gomes, M. R. (2009). Jornalismo: poder disciplinar. Revista Kairós, 6, 1-6. Retrieved from revistas.pucsp.br/kairos/article/viewFile/2661/1706

Hall, S. (2001). A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Guaracira.

Hall, S. (2003). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG.

Hall, S. (2016). Cultura e representação. Rio de Janeiro: Editoras Apicuri/PUC-Rio.

Lobato, J. A. M. (2016). Jornalismo e narratividade em sintonia: um percurso teórico-conceitual pelos elementos da grande reportagem. Estudos em Jornalismo e Mídia, 13(2), p.66-77. DOI: 10.5007/1984-6924.2016v13n2p66

Lobato, J. A. M. (2017). A alteridade na ficção seriada e na grande reportagem. Um estudo sobre as estratégias de representação do outro na narrativa televisual brasileira (tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo. DOI: 10.11606/T.27.2017.tde-31052017-102241.

Jost, F. (2007). Compreender a televisão. Porto Alegre: Sulina.

Kellner, D. (2001). A cultura da mídia. Bauru: Edusc.

Lago, C. (2014). Ensinamentos antropológicos: a apreensão do Outro pelo Jornalismo. Brazilian Journalism Research, v. 10, n. 2, p.164-178. DOI: 10.25200/BJR.v6n1.2010.253

Machado, A. (2000). A televisão levada a sério. São Paulo: Senac.

Motta, L. G. (2007). Análise pragmática da narrativa jornalística. In: C. Lago, & M. Benetti (Eds.), Metodologia de Pesquisa em Jornalismo (p.143-167). Petrópolis: Vozes.

Medina, C. (1988). Notícia, um produto à venda: jornalismo na sociedade urbana e industrial. São Paulo: Summus

Melo, J. M. (1985). A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis: Vozes.

Moscovici, S. (2003). Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes.

Propp, V. (1984). Morfologia do conto maravilhoso. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Resende, F. (2012). Para um jornalismo de fricção: a delicadeza de não ter o que dizer. In: R. Soares, & M. Gomes (Eds.), Profissão Repórter em diálogo (pp. 58-63). São Paulo: Alameda.

Rezende, G. J. (2000). Telejornalismo no Brasil: um perfil editorial. São Paulo: Summus Editorial.

Sodré, M. (2009). A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes.

Sponholz, L. (2009). Jornalismo, conhecimento e objetividade: ensaios de teoria do jornalismo. Florianópolis: Insular.

Todorov, T. (1993). A conquista da América: a questão do outro. São Paulo: Martins Fontes.

Todorov, T. (2003). As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva.

Vizeu, A. E. (2005). Decidindo o que é notícia: os bastidores do telejornalismo. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Woodward, K. (2000). Identidade e diferença: uma introdução teórico e conceitual. In: T. Silva (Ed.), Identidade e Diferença (pp. 7-68). A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v16n1.2020.1173

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.