Artificial Unity in Scandal Mentality

Clara Câmara, Marco Antonio Roxo da Silva

Resumo


In this article we reflect on some of the narrative strategies used to structure political scandals. In order to do this we conceive political scandals in journalism as a mentality. The narrative strategies contained in this mentality help toward understanding these events, which we perceive as scandals. We shall present three of these strategies contained in what we call “artificial unity”, which transmit to readers the idea that there is endless and uniform narratives on scandals. Using both critical analysis of narrative and the indiciary paradigm, we focus our reflections on a number of scandals which occurred while the Workers’ Party (PT) government was in power, as they were reported in the O Globo newspaper.

Neste artigo, propomos refletir sobre algumas das estratégias narrativas que estruturam a ideia de escândalo político. Para isso, propomos conceber os escândalos políticos, no jornalismo, como uma mentalidade. É essa mentalidade que resguarda estratégias narrativas que auxiliam na compreensão desses acontecimentos, que são concebidos como escândalos. Aqui, focamos em apresentar três dessas estratégias, contidas no que chamamos de “unidade artificial”, e que oferecem ao leitor uma ideia de que há uma grande narrativa de escândalo, uniforme e infindável. Unindo pressupostos da Análise crítica de narrativa e do paradigma indiciário, focamos nossas reflexões na listagem de escândalos dos governos do Partido dos Trabalhadores (PT), feita pelo jornal O Globo.

En este artículo, proponemos reflexionar sobre algunas de las estrategias narrativas que estructuran la idea del escándalo político. Para eso, proponemos concebir los escándalos políticos, en el periodismo, como una mentalidad. Es esta mentalidad la que protege las estrategias narrativas que ayudan a comprender estos eventos, que se conciben como escándalos. Aquí, nos enfocamos en presentar tres de estas estrategias, contenidas en lo que llamamos "unidad artificial", y que ofrecen al lector una idea de que hay una gran narrativa de escándalo, uniforme e interminable. Uniendo los supuestos del análisis crítico de la narrativa y el paradigma indicativo, centramos nuestras reflexiones en la lista de escándalos de los gobiernos del Partido de los Trabajadores (PT), realizada por el periódico O Globo.


Palavras-chave


Political scandals; Mentality; Artificial unity; Narrative; Journalism

Texto completo:

PDF (English) PDF (PT)

Referências


Albuquerque, A. (2000). Um outro “Quarto Poder”: imprensa e compromisso político no Brasil. Revista Contracampo, (04), 23–57. DOI: 10.22409/contracampo.v0i04.414

Aldé, A., & Vasconcellos, F. (2008). Ao vivo, de Brasília: escândalo político, oportunismo midiático e circulação de notícias. Proceedings of the II Congresso Anual dos Pesquisadores em Comunicação Política. Retrieved from www.compolitica.org/home/wp-content/uploads/2011/01/ale-alde.pdf

Almeida, P. R. D. (2003). A política internacional do Partido dos Trabalhadores: da fundação à diplomacia do governo Lula. Revista De Sociologia E Política, (20), 87–102. DOI: 10.1590/S0104-44782003000100008

Antunes, R. (2006). Uma esquerda fora de lugar: O governo Lula e os descaminhos do PT. São Paulo: Autores Associados Ltda.

Azevedo, F. (2010). Corrupção, mídia e escândalos midiáticos no Brasil. Debate, Belo Horizonte, 2(3), 14 –19. Retrieved from www4.pucsp.br/neamp/artigos/arquivos/artigo_97.pdf

Azevedo, F. (2017). A grande imprensa e o PT (1989–2014). São Carlos: EdUFSCar.

Bird, E., & Dardenne, R. (1993). Mito, registro e “estórias”: explorando as qualidades narrativas das notícias. ln N. Traquina (Ed.), Jornalismo: questões, teorias e “estórias” (pp.263–277). Lisboa: Veja.

Bourdieu, P. (1989). O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Braga, J. L. (2008). Comunicação, disciplina indiciária. Matrizes, 1(2), 73–88. DOI: 10.11606/issn.1982-8160.v1i2p73-88

Braudel, F. (1965). História e ciências sociais: a longa duração. Revista de História, 30(62), 261–294. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.1965.123422

Câmara, C. B., & Melo, S. (2018). Escândalo como narrativa útil: repensando a relação entre jornalismo e democracia. Logos, 25(2), 166–181. DOI: 10.12957/logos.2018.37082

Câmara, C. B. (2019). A “mentalidade escândalo”: uma análise das narrativas de malfeitos a partir das polarizações suscitadas pelo jornalismo brasileiro [doctoral thesis, Universidade Federal Fluminense]. Repositório Institucional da Universidade Federal Fluminense (RIUFF).

Campbell, R. (1991). 60 Minutes and the news: A mythology for middle America. University of Illinois Press.

Chaia, V., & Teixeira, M. A. (2001). Democracia e escândalos políticos. São Paulo Em Perspectiva, 15(4), 62–75. DOI: 10.1590/S0102-88392001000400008

Darnton, R. (1988). O Grande Massacre de Gatos. Rio de Janeiro: Graal.

Darnton, R. (2012). O Diabo na Água Benta. São Paulo: Cia das Letras.

Ettema, J. S., & Glasser, T. L. (1989). Investigative journalism and the moral order. Critical Studies in Media Communication, 6(1), 1–20. DOI: 10.1080/15295038909366728

Fabrino, R. & Simões, P. G. (2012). Enquadramento. Diferentes Operacionalizações Analíticas de um Conceito. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 27(79), 187–201. DOI: 10.1590/S0102-69092012000200012

Febvre, L. (1977). Combates pela História. Lisboa: Editora Presença.

Fleck, L. (2010). Gênese e desenvolvimento de um fato científico. Belo Horizonte: Fabrefactum.

Ginzburg, C. (1989). Mitos, emblemas, sinais. Rio de Janeiro: Companhia das Letras.

Goldstein, A. (2017). A Imprensa Brasileira e suas “Cruzadas Morais”: Análise dos Casos do Segundo Governo de Getúlio Vargas e do Primeiro Governo de Lula da Silva. Dados, 60(2), 395–435. DOI: 10.1590/001152582017124

Guazina, L. S. (2011). Jornalismo em Busca da Credibilidade: A cobertura adversária do Jornal Nacional no Escândalo do Mensalão [doctoral thesis, Universidade de Brasília]. Repositório Institucional da UNB.

Jácome, P. (2017). O jornalismo como singular coletivo: reflexões sobre a historicidade de um fenômeno moderno [doctoral thesis, Universidade Federal de Minas Gerais]. Repositório Institucional UFMG.

Keck, M. E. (2010). PT – A lógica da diferença: o Partido dos Trabalhadores na construção da democracia brasileira. Rio de Janeiro: Centro Edelstein.

Lattman-Weltman, F. (2016). Fidelidade ou credibilidade? Desafios políticos ao jornalismo brasileiro contemporâneo. Proceedings of the 10º Congresso da Associação Brasileira de Ciência Política–ABCP. Retrieved from cienciapolitica.org.br/system/files/documentos/eventos/2017/04/fidelidade-ou-credibilidade-desafios-politicos-ao-jornalismo.pdf

Lima, V. A. D. (2006). Mídia: Crise política e poder no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

Mont’Alverne, C., & Marques, F. P. J. A. (2015). A opinião da empresa no Jornalismo brasileiro: Um estudo sobre a função e a influência política dos editoriais. Estudos Em Jornalismo E Mídia, 12(1), 121 –137. DOI: 10.5007/1984-6924.2015v12n1p121

Martins, J. S. (2016). Do PT das lutas sociais ao PT do poder. São Paulo: Contexto.

McNair, B. (2009). Journalism and Democracy. In Wahl-Jorgensen, K., & Hanitzsch, T. (Eds.), The handbook of journalism studies (pp.237 – 249). New York, London, India: Routledge.

Motta, L. G. & Guazina, L. (2010). O conflito como categoria estruturante da narrativa política: O caso do Jornal Nacional. Brazilian Journalism Research, 6(1). DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v6n1.2010.251

Motta, L. (2013). Análise Crítica da Narrativa. Brasília: Editora UnB.

Nora, P. & Le Goff, J. (1974). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

Nunomura, E. Y. (2012). O mensalão impresso: o escândalo político-midiático do governo Lula nas páginas de Folha e Veja [master dissertation, Universidade de São Paulo]. DOI: 10.11606/D.27.2012.tde-18122012-125216

Pohlmann, M., & Valarini, E. (2013). Economic elites in Brazil: A study of the internationalization of top manager's careers. Revista de Sociologia e Política, 21(47), 39–53. DOI: 10.1590/S0104-44782013000300005

Pohlmann, M., Bär, S., & Valarini, E. (2014). The analysis of collective mindsets: introducing a new method of institutional analysis in comparative research. Revista de Sociologia e Política, 22(52), 7–25. DOI: 10.1590/1678-987314225202

Prior, H. (2015). O Escândalo Político como experiência narrativa. Brazilian Journalism Research, (11)2, 100–119. DOI: 10.25200/BJR.v11n2.2015.722

Prior, H. (2016). Esfera Pública e Escândalo Político – A Face Oculta do Poder. Porto: Media XXI.

Senne, F. J. N. (2009). Enquadrando a política sob a ótica do escândalo: Uma análise da cobertura de três escândalos políticos midiáticos, a partir da perspectiva do enquadramento [master dissertation, Universidade de Brasília]. Repositório Institucional da UNB.

Silva, M. T. (2014). Acontecimento: evocando sentidos, provocando ações: uma análise do “Mensalão”. Intexto, (30), 72–92. Retrieved from www.seer.ufrgs.br/intexto/article/view/47822/30387

Sodré, M. (2006). As estratégias sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis, RJ: Editora Vozes.

Soloski, J. (1993). Jornalismo e Profissionalismo. Alguns Constrangimentos no Trabalho Jornalístico. ln N. Traquina (Ed.), Jornalismo: questões, teorias e “estórias” (pp.91–100). Lisboa: Veja.

Schwarcz, L. (2008). Apresentação: Imaginar é difícil (porém necessário). In Anderson, B., Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras.

Raminelli, R. (1990). Lucien Febvre no caminho das mentalidades. Revista de História, 122, 97-115. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i122p97-115

Ribeiro, A. P. G. (2003). Jornalismo, literatura e política: a modernização da imprensa carioca nos anos 1950. Revista Estudos Históricos, 1(31), 147-160. Retrieved from http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2186/1325

Ribeiro, A. P. G. (2007). Imprensa e história no Rio de Janeiro dos anos 1950. Rio de Janeiro: E-papers.

Schudson, M. (1993). Watergate in American Memory. New York: Basic Books.

Thompson, J. B. (2002). O escândalo político: poder e visibilidade na era da mídia. Petrópolis: Vozes.

van Dijk, T. A. (2017). How globo media manipulated the impeachment of Brazilian president Dilma Rousseff. Discourse & Communication, 11(2), 199-229. DOI: 10.1177/1750481317691838

Zelizer, B. (1990). Achieving journalistic authority through narrative. Critical Studies in Media Communication, (7)4, 366–376. DOI: 10.1080/15295039009360185

Zelizer, B. (1992). Covering the body: the Kennedy assassination, the media, and the shaping of collective memory. Chicago: University of Chicago Press.

Volvelle, M. (1985). Ideologías y mentalidades. Madrid: Ariel.

Wallon, H. (1972). The emotions. International Journal of Mental Health, (1)4, 40–52. DOI: 10.1080/00207411.1972.11448596

Referenced newspapers

Barbosa, A. A. (2005, Nov.). PT não dá trégua a Palocci. O Globo, São Paulo, Matutina, O País, p.3.

Denúncias põem Severino no fogo cruzado da crise. (2005, Sept.). O Globo, Rio de Janeiro, Matutina, p.1.

Lima, M., & Medeiros, L. (2005, Sept. 3). Severino no olho do furacão. O Globo, Brasília, Matutina, O País, p. 3.

Lima, M., Alvarez, R., & Beck, M. (2005, Nov. 23). ‘Não vou ser outro Dirceu’. O Globo, Brasília, Matutina, O País, p.3.

Mensalão chega ao fim. (2014, March). O Globo, Rio de Janeiro, Matutina, p. 1.

‘Na política tem isso de intrigas’. (2005, Nov.). O Globo, Brasília, Matutina, O país, p. 3.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v16n3.2021.1322

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.