AT THE SERVICE OF THE COMMUNITY, CAUSE OR CAPITAL: alternative journalistic arrangements to the major media corporations in Santa Catarina

Andressa Kikuti Dancosky, Jacques Mick, Dairan Mathias Paul, Suelyn Cristina Carneiro da Luz, Alessandra Natasha Costa Ramos, Jefferson Sousa

Resumo


ABSTRACT – This paper presents the results of research on journalistic economic alternative arrangements to the major media corporations in the state of Santa Catarina, Brazil. It draws a profile of 20 arrangements identified through combined research techniques (snowball and questionnaire), characterizing them from three central axes: 1) “what is journalistic” in the journalistic arrangements (defining aspects of the type of journalism that is produced – or “markers”) and considerations about the world of work of the people in charge of these arrangements; 2) organization and production process (publication regimes, target audience, independence, and alternativeness); and 3) innovation and sustainability (if the arrangements consider themselves as entrepreneurial and innovative, what their legal status is and how they are financially sustained). The results point to three ideal types of journalistic arrangements, identified by their different bonds with the capital, their communities, or their political causes. Each ideal type corresponds to a distinct understanding of what journalism is and to distinct governance practices. Without constituting consolidated models, these types respond, each one in its way, to the structural changes that occur in the profession.

RESUMO – Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa sobre arranjos econômicos de jornalismo alternativos às grandes corporações de mídia no estado de Santa Catarina. Traça um perfil de 20 arranjos identificados por meio de técnicas combinadas de pesquisa (bola de neve e questionário), caracterizando-os a partir de três eixos centrais: 1) “o que há de jornalístico” nos arranjos jornalísticos (aspectos definidores do tipo de jornalismo produzido – ou “marcadores”) e considerações sobre o mundo do trabalho de seus e suas responsáveis; 2) organização e processo produtivo (regimes de publicação, públicos-alvo, relações de independência e alternatividade); e 3) inovação e sustentabilidade (se os arranjos consideram-se empreendedores e inovadores, quais seus status jurídicos e como se sustentam). Os resultados apontam para três tipos ideais de arranjos jornalísticos, identificados por suas diferentes conexões com o capital, as comunidades ou as causas políticas. Cada tipo ideal corresponde a um entendimento diferente do que é o jornalismo e a distintas práticas de governança. Esses tipos, sem constituírem ainda modelos consolidados, respondem, cada qual a seu modo, às mudanças estruturais do ofício.

RESUMEN – Este artículo presenta los resultados de una investigación sobre proyectos económicos de periodismo alternativos a las principales corporaciones mediáticas en el estado de Santa Catarina, Brasil. Se dibuja un perfil de 20 proyectos identificados por técnicas de investigación articuladas (bola de nieve y cuestionario), caracterizándolos desde tres ejes centrales: 1) “qué hay de periodístico” en los proyectos periodísticos (aspectos definidores del tipo de periodismo producido – o “marcadores”) y consideraciones sobre el mundo laboral de sus responsables; 2) organización y proceso de producción (regímenes de publicación, públicos objetivo, relaciones de independencia y alternatividad); y 3) innovación y sostenibilidad (si los proyectos se consideran emprendedores e innovadores, cuál es su estatus legal y cómo se mantienen). Los resultados apuntan a tres tipos ideales de proyectos periodísticos, identificados por sus distintas conexiones con el capital, las comunidades o las causas políticas. Cada tipo ideal corresponde a una comprensión diferente de lo que es el periodismo y diferentes prácticas de gobernanza. Estos tipos, sin ser modelos aún consolidados, responden, cada uno a su manera, a los cambios estructurales de la profesión.


Palavras-chave


New arrangements for journalistic work; Santa Catarina journalism; World of journalists’ work; Independent journalism

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


Anderson, C., Bell, E., & Shirky, C. (2013). Jornalismo pós-industrial: adaptação aos novos tempos. Revista de Jornalismo ESPM, 5(2), 30 – 89.

Assis, E., Camasão, L., Silva, M. R., & Christofoletti, R. (2017). Autonomia, ativismo e colaboração: contribuições para o debate sobre a mídia independente contemporânea. Pauta Geral, 4(1), 3–20. Retrieved from https://revistas2.uepg.br/index.php/pauta/article/view/9899

Boltanski, L., & Chiapello, É. (2009). O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes.

Bronosky, M., & Carvalho, G. (2017). Jornalismo alternativo no Brasil: do impresso ao digital. Pauta Geral, 4(1), 21-39.

Cammaerts, B. (2016). Overcoming net-centricity in the study of alternative and community media. Journal of Alternative & Community Media, 1, 1-3. DOI: 10.1386/joacm_00002_1

Cassiolato, J. E., & Lastres, H. M. M. (2003). O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In J. E. Cassiolato, H. M. M. Lastres & M. L. Maciel (Eds.), Pequena empresa – cooperação e desenvolvimento local (pp.21–34). Rio de Janeiro: Relume Dumará.

Cagé, J., (2015). Sauver les médias. Paris: Seuil.

Celecia Pérez, C. (2020). Periodismo independiente cubano en línea: ampliación de lo público desde una dimensión contenciosa. Comunicación y Sociedad, 17, 1–28. DOI: 10.32870/cys.v2020.7644

Charron, J., & De Bonville, J. (2016). Natureza e transformação do jornalismo. Florianópolis: Insular; Brasília: FAC Livros.

Christofoletti, R. (2019). A crise do jornalismo tem solução? Barueri: Estação das Letras e Cores.

Costa, R. R., Silva, N. R., Araújo, M. C. B., & Lima, R. C. B. (2020). Arranjos alternativos de trabalho em jornalismo no Ceará: relações de comunicação e condições de trabalho. Fortaleza: PRAXISJOR-UFC. Retrieved from www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/54543/1/2020_rel_praxisjor.pdf

Dardot, P., & Laval, C. (2016). A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo.

De León, S. (2018). Esquemas de financiamiento del ciberperiodismo mexicano independiente. Proceedings of the XIV Congreso de la Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación. San José, Costa Rica: ALAIC. Retrieved from http://alaic2018.ucr.ac.cr/sites/default/files/2019-02/GT%2016%20-%20%20ALAIC%202018.pdf

Deuze, M., & Witschge, T. (2020). Beyond journalism. Cambridge: Polity Press.

Deuze, M., & Witschge, T. (2016). O que o jornalismo está se tornando? Parágrafo, 4(2), 8–21. Retrieved from http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/478/445

Dogruel, L. (2014). What is so special about media innovations? A characterization of the field. The Journal of Media Innovations, 1(1),52–69. DOI: 10.5617/jmi.v1i1.665

Figaro, R., Moliani, J. A., Marques, A. F., & Kinoshita, J. (2020). Jornalismo digital: questões metodológicas da análise das condições de produção nos novos arranjos do trabalho dos jornalistas. Proceedings of the 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. São Paulo, Brasil: SBPJOR. Retrieved from http://sbpjor.org.br/congresso/index.php/sbpjor/sbpjor2020/paper/viewFile/2563/1389

Figaro, R. (2018a). As relações de comunicação e as condições de produção no trabalho de jornalistas em arranjos econômicos alternativos às corporações de mídia. São Paulo: ECA-USP. Retrieved from http://www2.eca.usp.br/comunicacaoetrabalho/wp-content/uploads/E-book_FIGARO_As-relações-de-comunicaçãoe-as-condições-de-produção-no-trabalho-de-jornalistas-em-arranjoseconômicos-alternativos-às-corporações-de-mídia-2.pdf

Figaro, R. (2018b). O mundo do trabalho das jornalistas: feminismo e discriminação profissional. Brazilian Journalism Research, 14(2), 570–591. DOI: 10.25200/BJR.v14n2.2018.1052

Flores, A. M. M. (2017). Innovation journalism: a multiple concept. Brazilian Journalism Research, 13(2), 156–187. DOI: 10.25200/BJR.v13n2.2017.970

Franciscato, C. E., & Silva, G. S. (2020). Fatores sociais nos estudos de inovação em organizações jornalísticas. Estudos em Jornalismo e Mídia, 17(1), 145–155. DOI: 10.5007/1984-6924.2020v17n1p145

Giusti, T. R. de F. (2019). A governança nos novos arranjos de jornalismo: um estudo de caso do The Intercept Brasil [master thesis, Universidade Federal de Santa Catarina]. Repositório Institucional UFSC.

Grohmann, R., Roxo, M., & Marques, A. F. (2019). Lugares de enunciação e disputa de sentido em relação ao trabalho jornalístico em arranjos alternativos às corporações de mídia. Brazilian Journalism Research, 15(1), 206–229. DOI: 10.25200/BJR.v15n1.2019.1079

Grohmann, R. (2017). Inovação como fórmula discursiva convocatória para as práticas jornalísticas: sentidos mobilizados por textos do Observatório da Imprensa. Contemporânea, 15(1), 207–226. DOI: 10.9771/contemporanea.v15i1.20646

Hallin, D. (2000). Media political power, and democratization in Mexico. In J. Curran & M-J. Park (Eds.), De-westernizing media studies (pp.97–110). London: Routledge.

Harlow, S., & Salaverría, R. (2016). Regenerating journalism: exploring the “alternativeness” and “digital-ness” of online-native media in Latin America. Digital Journalism, 4(8), 1001–1019. DOI: 10.1080/21670811.2015.1135752

Karppinen, K., & Moe, H. (2016). What we talk about when we talk about “Media Independence”. Javnost – The Public, 23(2), 105–119. DOI: 10.1080/13183222.2016.1162986

Lelo, T. V. (2019). Reestruturações produtivas no mundo do trabalho dos jornalistas: precariedade, tecnologia e manifestações da identidade profissional [doctoral dissertation, Universidade Estadual de Campinas]. Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp.

Lindmark, S., Ranaivoson, H., Donders, K., & Ballon, P. (2013). Innovation in small regions’ media sectors. In T. Storsul & A. H. Krumsvik (Eds.), Media innovations: a multidisciplinary study of change (pp.127–144). Nordicom: Göteborg.

Loosen, W., Ahva, L., Reimer, J., Solbach, P., Deuze, M., & Matzat, L. (2020). ‘X Journalism’. Exploring journalism’s diverse meanings through the names we give It. Journalism, online first, 1–20. DOI: 10.1177/1464884920950090

Mellado, C., Márquez, M., Alonso, M. O., Mick, J., & Amado, A. (2016). Puesta en práctica de los roles periodísticos: un estudio comparado de Argentina, Brasil, Chile, Ecuador y México. In A. Amado (Org.), El periodismo por los periodistas. Perfiles profesionales en las democracias de América Latina (pp.64–71). Argentina: Fundación Konrad Adenauer, Infociudadana.

Mick, J., & Christofoletti, R. (2018). Inovações na governança jornalística diante da crise. In J. Colussi, F. G. F. Silva & P. M. Rocha (Eds.), Periodismo ubicuo: convergencia e innovación en las nuevas redacciones (pp.45–72). Bogotá: Ed. Universidad del Rosario.

Mick, J., & Estayno, S. (2020). Jornalistas na crise: as carreiras interrompidas na mídia e a estrutura dual da profissão (2012-2017). In F. H. Pereira, P. M. Rocha, R. Grohmann & S. P. Lima (Eds.), Novos olhares sobre o trabalho no jornalismo brasileiro (pp.15–27). Florianópolis: Insular.

Mick, J., & Kamradt, J. (2017). O fim da notícia. Florianópolis: Insular.

Mick, J., & Tavares, L. M. (2017). Governance of journalism and alternatives to the crisis. Brazilian Journalism Research, 13(2), 114–140. DOI: 10.25200/BJR.v13n2.2017.948

Mick, J. & Lima, S. (2013). Perfil do jornalista brasileiro. Características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012. Florianópolis: Insular.

Nicoletti, J. (2020). Precarização e qualidade no jornalismo. Florianópolis: Insular.

Nunes, D. (2020). Escalada da precariedade: os efeitos das transformações do trabalho na subjetividade das mulheres jornalistas na cidade de São Paulo [dissertação de mestrado, Universidade Federal do ABC]. Repositório Institucional UFABC.

Oliveira, M., & Grohmann, R. (2015). O jornalista empreendedor: uma reflexão inicial sobre jornalismo, flexibilização do trabalho e os sentidos do empreendedorismo no campo profissional. Líbero, 18(35), 123–132. Retrieved from http://seer.casperlibero.edu.br/index.php/libero/article/view/79

Pachi Filho, F. F., Barros, J. V., & Moliani, J. A. (2017). Empreendedorismo e inovação nos novos arranjos produtivos jornalísticos. Proceedings of the 15º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. São Paulo: SBPJOR. Retrieved from http://sbpjor.org.br/congresso/index.php/sbpjor/sbpjor2017/paper/viewFile/740/356

Pontes, F.S. (2017). Desigualdades estruturais de gênero no trabalho jornalístico: o perfil das jornalistas brasileiras. E-Compós, 20(1), 1–15. DOI: 10.30962/ec.1310

Rosseti, R. (2013). Categorias de inovação para os estudos em Comunicação. Comunicação & Inovação, 14(27), 63–72. DOI: 10.13037/ci.vol14n27.2262

Schwartz, Y. (2000). Trabalho e uso de si. Pro-Posições, 1(5), 34–50. Retrieved from https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644041

SembraMedia. (2017). Ponto de Inflexão – impacto, ameaças e sustentabilidade: um estudo dos empreendedores digitais latinoamericanos. Retrieved from http://data.sembramedia.org/wp-content/uploads/2017/09/Ponto-de-Inflexao-SembraMediaport-7-20.pdf

Silva, M. R. (2017). Tensões entre o alternativo e o convencional: organização e financiamento nas novas experiências de jornalismo no Brasil [master thesis, Universidade Federal de Santa Catarina]. Repositório Institucional UFSC.

Silva, M. R., & Christofoletti, R. (2018). Novas experiências de jornalismo no Brasil: potências e limites para uma nova governança social. Líbero, 21(41), 156–171. Retrieved from http://seer.casperlibero.edu.br/index.php/libero/article/view/966

Somohano, A. (2019). Condiciones de la producción informativa en medios independientes cubanos. Estudios de caso de El Estornudo y Periodismo de Barrio. In M. O. Alonso, D. O. Pérez & A. S. Fernández (Eds.), En Cuba, periodismo es más (+): Transposición, redundancia y dinamismo profesional (pp.231– 271). La Laguna (Tenerife): Sociedad Latina de Comunicación Social. Retrieved from www.cuadernosartesanos.org/2019/cac151.pdf

Storsul, T., & Krumsvik, A. (2013). What is media innovation? In S. Storsul & A. Krumsvik (Eds.), Media innovation: a multidisciplinary study of change (pp.13–26). Göteborg: Nordicom.

Tavares, L. (2019). O jornalismo das periferias de São Paulo entre a experimentação e a atualização de práticas convencionais [master thesis, Universidade Federal de Santa Catarina]. Repositório Institucional da UFSC.

Waisbord, S. (2013). Reinventing Professionalism: Journalism and News in Global Perspective. Cambridge: Polity Press.

Waisbord, S. (2017). Crisis? What crisis? In C. Peters & M. Broersma (Eds.), Rethinking journalism again: societal role and public relevance in the digital age (pp.205–2015). London: Routledge.

Zago, G. S. (2009). Informações Hiperlocais no Twitter: produção colaborativa e mobilidade. Proceedings of the 32º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. São Paulo: Intercom.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v17n2.2021.1382

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.