A depressão como objeto jornalístico: explorando o arquivo do Grupo Folha (1970-2009)

Ericson Saint Clair

Resumo


Investigamos indícios da construção cultural do distúrbio psíquico da depressão como uma atualidade midiática no Brasil. Para isso, exploramos sua definição como objeto jornalístico a partir do exame do corpus de pesquisa formado por matérias do Grupo Folha, especialmente a Folha de S. Paulo, ao longo dos últimos quarenta anos. Nossa abordagem do arquivo de notícias permite-nos delinear quatro regiões principais de estratégia de produção discursiva, expostas e exemplificadas no artigo. A partir destas observações, pleiteamos então uma nova perspectiva para a análise da função da imprensa na publicação de matérias de divulgação de pesquisas científicas acerca da depressão. Entenderemos seu papel não simplesmente como disseminadora automática de verdades científicas, mas como exploradora de uma zona cinzenta do domínio da opinião, encarada como representação dos destroços do saber circulante, em que está em jogo a produção da própria atualidade do distúrbio. 


Palavras-chave


Depressão; discurso; imprensa; subjetividade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v8n1.2012.323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.