A atuação jornalística em plataformas móveis. Estudo sobre produtos autóctones e a mudança no estatuto do jornalista

Suzana Barbosa, Fernando Firmino da Silva, Leila Nogueira, Yuri Almeida

Resumo


Este artigo está centrado no estudo de caráter empírico e teórico-conceitual dos produtos autóctones (originais) para tablets, lançados como parte das estratégias das organizações jornalísticas em conformidade com os processos de convergência jornalística, com lógica multiplataforma horizontalizada integrando web, tablets, smartphones e versões em PDF e page flip da edição impressa em um continuum multimídia dinâmico. De natureza qualitativa, a metodologia inclui análise dos produtos que se tem como casos empíricos - O Globo a MaisEstadão NoiteFolha10 – ancorada em ficha exploratória desenvolvida ad hoc, associada a entrevistas semiestruturadas com editores e repórteres. Os resultados apontam para mudanças no perfil dos profissionais envolvidos com as estratégias de produção para tablets, inserção de novos elementos nas narrativas em produtos autóctones. Ao mesmo tempo, identificou-se uma transposição 3.0, pois o conteúdo exclusivo dos produtos para tablets é posteriormente transposto para outras plataformas do grupo.


Palavras-chave


Convergência jornalística; Jornalismo móvel; Tablets; Produtos autóctones; Estatuto do jornalista

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, S. “Jornalismo convergente e continuum multimídia na quinta geração do jornalismo nas redes digitais”. In:

CANAVILHAS, J. (Org). Notícias e Mobilidade. O Jornalismo na Era dos Dispositivos Móveis.Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2013. p. 33-54.

______. “Modelo JDBD e o ciberjornalismo de quarta geração”. In: FLORES VIVAR, J.M.; RAMÍREZ, F.E. (Eds.). Periodismo Web 2.0. Madrid: Editorial Fragua, 2009. p.271-283.

______. Jornalismo Digital em Base de Dados (JDBD) - Um paradigma para produtos jornalísticos digitais dinâmicos. 2007. (Tese de Doutorado). PósCOM/UFBA. Disponível em:

BARBOSA, S.; TORRES, V. Extensões do Paradigma JDBD no Jornalismo Contemporâneo: modos de narrar, formatos e visualização para conteúdos. In: Anais XXI Encontro Compós. N. 21, v. 1. Juiz de Fora, MG: UFJF, 2012.

BARBOSA, S.; FIRMINO DA SILVA, F.; NOGUEIRA, L. Análise da convergência de conteúdos em produtos jornalísticos com presença multiplataforma. In: Anais 10º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo - SBPJor. Curitiba, novembro 2012. (online), Disponível em: .

BAUMAN, Z. Vida Líquida. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

BERGAMO, A.; MICK, J. (Coord.); LIMA, S. Quem é o jornalista brasileiro? Perfil da Profissão no país. 2013. (online). Disponível em: . Universidade Federal de Santa Catarina/Federação Nacional dos Jornalistas. Acesso em: 09 abril.2013.

BOLTER, J.D.; GRUSIN, R. Remediation: Understanding new media. Cambridge: The MIT Press, 2000.

BURKITT, I. Social Selves. Theories of Self and Society.Thousand Oaks, California: SAGE Publications Inc., 2008.

CHRISTOFOLETTI, R. Ética no Jornalismo. São Paulo: Contexto, 2008.

______. O Jornalismo é uma Profissão, sim! In: FENAJ (Org.). Formação Superior em Jornalismo: uma exigência que interessa à sociedade. Florianópolis: Imprensa da UFSC, 2ª ed., 2002.

DAILEY, L.; DEMO, L.; SPILLMAN, M.The Convergence Continuum: A Model for Studying Collaboration Between Media Newsrooms. 2003. (Publicado em 2005 no Atlantic Journal of Communication. 13(3), 2003. p. 150-168).

DEUZE, M. Media Work. Cambridge: Polity Press, 2007.

ERDAL, I. J. Coming to terms with convergence journalism: cross-media as a theoretical and analytical concept. Convergence: The International Journal of Research into New Media Technologies. 17 (2), 2011. p. 213-223.

GARCÍA, M. iPad Design Lab - Basic: Storytelling in the Age of the Tablet(Kindle Edition), 2012.

GORDON, R. Convergence defined. In: Online Journalism Review. 2003. Disponível em: . Acesso em 25 mar. 2013.

GRUSIN, R. Premediation: Affect and Mediality After 9/11. UK: Palgrave Macmillan, 2010.

GÜERE, H.N.; NEVES, Alysson L. Introducción a las Apps de noticias para dispositivos móviles. AE-IC 2012. Disponível em: .

HOGG, M. A.; VAUGHAN, G. M. Essentials of social psychology. Published Harlow: Pearson Education, 2010.

LAWSON-BORDERS, G.Media organizations and convergence. Case Studies of Media Convergence Pioneers. Mahwah, New Jersey: LEA, 2006.

LÓPEZ GARCÍA, X.; PEREIRA FARIÑA, X. Convergencia Digital. Reconfiguração de los Medios de Comunicación en España. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela, 2010.

MARWICK, A.; BOYD, D. I tweet honestly, I tweet passionately: Twitter users, context collapse, and the imagined audience. In: New Media & Society, 2010. p. 1-20.

MURRAY, J. Inventing the Medium: Principles of Interaction Design as aCultural Practice. Cambridge, MA: MIT Press. Kindle Edition, 2012.

NOGUEIRA, F. J. Autenticidade para Taylor – tensão sobre o papel da individualidade. In: Revista de Filosofia GAMA Digital, edição 2008.2. p. 1-12.

PALACIOS, M. S.; CUNHA, R. do E. S. da. A Tactilidade em Dispositivos Móveis: primeiras reflexões e ensaio de tipologias. In: Contemporânea, v. 10, n. 3, set/dez. 2012. p. 668-685.

PHILLIPS, A.; COULDRY, N.; FREEDMAN, D. “An Ethical Deficit? Accountability, Norms, and the Material Conditions of Contemporary Journalism”. In: FENTON, N. (Ed.). New Media, Old News. Journalism & democracy in the digital age.London: Sage Publications, 2010.

QUINN, S. Convergent Journalism.The Fundamentals of Multimedia Reporting. New York: Peter Lang Publishing. 2005

SALAVERRÍA R.; GARCÍA AVILÉS. J.A.; MASIP P.M. “Concepto de Convergencia Periodística”. In: LÓPEZ GARCÍA, X.; PEREIRA FARIÑA, X. Convergencia Digital. Reconfiguração de los Medios de Comunicación en España. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela, 2010. p. 41-64.

SCOLARI, C.; AGUADO, J. M.; FEIJÓO, C. Mobile media: towards a definition and taxonomy of contents and application. In: International Journal of Interactive Mobile Technologies (iJIM), v. 6, april 2012. Disponível em: . Acesso em 2 abril 2012.

SIMON, B. Identity in Modern Society. A social psychological perspective. Oxford: Blackwell Publishing Ltd., 2004.

SINGER, J. User-generated visibility: Secondary gatekeeping in a shared media space. In: New Media & Society, 0(0) 1–19, 2013.

TRAQUINA, N. Teorias do Jornalismo. A tribo jornalística - uma comunidade interpretativa transnacional. Vol. II. Florianópolis: Insular, 2005.

WACHS, M.C. As dinâmicas simbólicas e a (re) construção da identidade docente. In: Teocomunicação, v. 40, nº 2, maio/ago 2012.

WESTLUND, O. Mobile news. Digital Journalism. In: Digital Journalism. v.1, nº 1, 2013. p. 6-26. Acesso em 5 fev. 2013.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v9n2.2013.549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.