An Ontology of Omnipresent and Omniscient Cameras: Changes to Telejournalism and the Ubiquity of Devices for Recording Reality

Maura Martins

Resumo


The proliferation of technological devices that visually register the world has led to changes in the narrative formats of telejournalism. The various types of cameras used by television stations – surveillance, amateur, hidden and even professional ones - give broadcasters a plethora of strategies for reaching an audience who tend to dominate and distrust the well-known media languages. This paper presents a proposal for categorizing the cameras used in daily telejournalism in order to better understand the specifics of the phenomenon. Overall, all these cameras appear to be used for creating a realist aesthetic with low media interference.


Palavras-chave


Telejournalism; Omnipresent Cameras; Omniscient Cameras; Devices of reality; Realistic aesthetic

Texto completo:

PDF (English) PDF (PT)

Referências


BERTOCCHI, D. Dos dados aos formatos: o sistema narrativo no jornalismo digital. In: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós), 2014, Belém. Anais da XXIII Compós, Belém, 2014. Available on . Access on February 18th 2016.

BRAGA, J. L. A sociedade enfrenta sua mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus, 2006.

BROOKS, P. The melodramatic imagination: Balzac, Henry James, melodrama, and the mode of excess. New Haven and London: Yale University Press, 1995.

BROWN, P.; DUBBERLEY, S.; WARDLE, C. Amateur footage: a global study of user-generated content in tv and online-news output. Columbia Journalism School: Tow Center for Digital Journalism. New York, 2014. Available on: . Access on: February 16th 2016.

BRUNO, F. Estética do flagrante: controle e prazer nos dispositivos de vigilância contemporâneos. Cinética: Programa Cultura e Pensamento, Ministério da Cultura. Rio de Janeiro, 2008.

BRUNO, F. Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2013.

CASTILHO, C. O questionamento da confiança na imprensa. Observatório da imprensa, São Paulo, n. 784. Available on: . Access on: January 20th 2015.

COSTA, B; POLYDORO, F. A apropriação da estética do amador no cinema e no telejornal. Líbero, São Paulo, v. 17, n. 34, p. 89-98, 2012.

DALMONTE, E. Em nome do interesse público: o jornalismo de máscara e o uso de ações ilícitas no telejornalismo. In: GOMES, I. (Ed.). Análise de telejornalismo: desafios teórico-metodológicos. Salvador: EDUFBA, 2012, p. 349-368.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2004.

JOST, F. Compreender a televisão. Porto Alegre: Sulina, 2007.

JOST, F. O que significa falar de “realidade” para a televisão? In: GOMES, Itania (Ed.). Televisão e realidade. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 13-30.

KLATELL, D. A arte da reinvenção: enquanto as TVs patinam no modelo tradicional da narrativa em vídeo, redações digitais apostam nos filmes produzidos por amadores. Revista de Jornalismo ESPM, São Paulo, n.11, pp. 14-16, 2014.

MARTINS, M. A estética do equívoco: a irrupção dos formatos fundamentados na autenticidade na narrativa de televisão. Estética, São Paulo, n. 12, p. 1-14, 2016a.

MARTINS, M. Estratégias de representação do real: um olhar semiótico às narrativas do New Journalism e de Linha Direta. 2005. Master thesis (Master’s Degree in Communications) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2005.

MARTINS, M. Novos efeitos de real concretizados pelas máquinas de visibilidade: reconfigurações no telejornalismo perante a ubiquidade das câmeras onipresentes e oniscientes. 2016. PhD Dissertation (PhD’s Degree in Communications) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016b.

NÓRA, G.; D’ABREU, P. Telejornalismo e o aprisionamento do sentido: reconfigurações em tempos de mídias sociais. In: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), 2014, Foz do Iguaçu. Anais do XXXVII Intercom, Foz do Iguaçu: 2014. Available on: . Access on: March 16th 2016.

PENAFRIA, M. O plano-sequência é a utopia. O paradigma do filme Zapruder. Biblioteca Online de Ciências da Comunicação. Available on: . Access on: November 12th 2015.

POLYDORO, F. A ubiquidade das câmeras e a intrusão do real na imagem. In: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós), 2013, Salvador. Anais da XXII Compós, Salvador, 2013. Available on: . Access on: March 22th 2016.

RESENDE, F. O jornalismo e suas narrativas: as brechas do discurso e as possibilidades do encontro. Galáxia, São Paulo, n. 18, p. 31-43, 2009.

SENNETT, R. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SERELLE, M. Post de uma revolução em declínio: Cuba na narrativa de Yoani Sánchez. In: FRANÇA, V.; OLIVEIRA, L. (Eds.) Acontecimentos: reverberações. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p. 257-268.

SODRÉ, M. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

ZANOTTI, C. Jornalismo colaborativo, gêneros jornalísticos e critérios de noticiabilidade. Revista Comunicação Midiática, v.5, n.1, p.28-41, set./dez. 2010




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v12n3.2016.892

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.