Alterity, Otherness and Journalism: From Phenomenology to Narration of Modes of Existence

Camila Freitas, Marcia Benetti

Resumo


In a theoretical reflection, the aim of this paper is primarily to discuss alterity in journalism. We believe that journalism plays a fundamental role in the construction of knowledge on similarities and differences between human beings, stressing social diversity as one of its purposes. We associate the concept of otherness, understood as a singular mode of existence of the “other”, with the purpose of journalism and with actions of empathy, sympathy and compassion. Based on a phenomenological perspective, we discuss the importance of the meeting between the "self" and the "other", as well as the ability of journalists to perceive and narrate on the aspects that shape the identities of human beings. Moreover, we discuss otherness in journalistic narratives, approaching the relation between the lifeworld and the world of text, taking into consideration the elements of perception, mimesis, textuality and interpretation.

Este artigo tem caráter teórico e visa discutir a alteridade no jornalismo. Consideramos que o jornalismo tem um papel fundamental na construção do conhecimento sobre as semelhanças e as diferenças entre os seres humanos, sendo a apresentação da diversidade social uma de suas finalidades. Propomos associar o conceito de outridade, compreendida como o modo de existência do “outro” em sua singularidade, a essa finalidade do jornalismo e a ações de empatia, simpatia e compaixão. Adotamos uma perspectiva fenomenológica, indicando a relevância da experiência do encontro entre o “eu” e o “outro” e a capacidade de o jornalista perceber e narrar os aspectos que configuram as múltiplas identidades dos seres. Tratamos ainda da outridade na narrativa jornalística, abordando a relação entre o mundo da vida e o mundo do texto e discutindo os princípios da percepção, da ação mimética, da textualidade e da interpretação.

Este artículo de carácter teórico analiza la alteridad en el periodismo. Creemos que el periodismo tiene un papel fundamental en la construcción de los saberes acerca de las similitudes y diferencias entre los seres humanos, una vez que la presentación de la diversidad social és uno de sus propósitos. Combinamos el concepto de otredad, que se entiende como el modo de existencia del "otro" en su singularidad, con la finalidad del periodismo. Adoptamos un punto de vista fenomenológico, lo que indica la importancia de la experiencia del encuentro entre "yo" y "otro" y la capacidad del periodista para percibir y narrar características de las múltiples identidades de los seres. También trabajamos con la otredad en la narrativa periodista, presentando la relación entre el mundo de la vida y el mundo del texto, así tratando de los principios de la percepción, de la acción mimética, de la textualidad y de la interpretación.

Palavras-chave


Alterity; Otherness; Journalism; Narrative; Phenomenon

Texto completo:

PDF (English) PDF (PT)

Referências


Abbagnano, N. (1998). Dicionário de Filosofia. (2nd ed.). São Paulo, Brazil: Martins Fontes.

Arendt, H. (2009). La condición humana. Buenos Aires, Argentina: Paidós.

Bakhtin, M. (2004). Marxismo e filosofia da linguagem. (10th ed.). São Paulo, Brazil: Hucitec.

Barbosa, F. C. (2008). Jornalismo potencializador e as formas de narrar o Outro: a alteridade brasileira no New York Times. Dissertação de mestrado em Comunicação, PUC-Rio, Rio de Janeiro.

Benetti, M. (2007). Análise do Discurso: estudo de vozes e sentidos. In: LAGO, C.; BENETTI, M. (Eds.). Metodologia de pesquisa em jornalismo, (pp. 107-122). Petrópolis, Brazil: Vozes.

Benetti, M. (2008). O jornalismo como gênero discursivo. Galáxia, (14), 13-28.

Benetti, M.; Freitas, C. (2015). A fenomenologia da memória e o “homem capaz” do jornalismo. Conexão – Comunicação e Cultura, 14(28), 167-185.

Bubant, N.; Willerslev, R. (2014). The dark side of empathy: mimesis, deception and the magic of alterity. Comparative Study of Society and History, 54(1), 5-34.

Buber, M. (1986). I and Thou. Gloucester, UK: Peter Smith Publisher.

Charaudeau, P. (1991). La communication et le droit à la paorole dans une interaction du même et de l’auttre. Cahiers de Praxématique, (17), 27-47.

Charaudeau, P. (2013). Discurso das mídias. (2nd ed.). São Paulo, Brazil: Contexto.

Cornu, D. (1999). Jornalismo e verdade: para uma ética da informação. Lisboa, Portugal: Instituto Piaget.

Costa, C. C. B. (2010). A TV, o Outro e o Mesmo: figuras da alteridade e traços identitários no Jornal Hoje da Rede Globo. Dissertação de mestrado em Cultura e Sociedade, UFBA, Salvador.

Dionizio, P. M. (2011). Entre mundos: um encontro com o outro na tessitura da narrativa jornalística. Dissertação de mestrado em Comunicação, UFMG, Belo Horizonte.

Ferreira, A. G. (1960). Dicionário de latim-português. Porto, Portugal: Porto.

Foessel, M. (2016). The world of the text and the world of life: two contradictory paradigms? In: Davidson, S.; Vallé, M.-A. (Eds.). Hermeneutics and Phenomenology in Paul Ricoeur: between text and phenomenon, (pp. 75-86). Basel, Switzerland: Springer.

Genette, G. (1995). Discurso da narrativa. Lisboa, Portugal: Vega.

Genro Filho, A. (1987). O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Porto Alegre, Brazil: Tchê!.

Gomes, I. (2012). Olhares sobre o outro: estudo das representações do Islã nos jornais Estado de S.Paulo e Folha de S. Paulo. Tese de doutorado em Comunicação, UMESP, São Bernardo do Campo.

Hazell, C. (2009). Alterity: the experience of the other. Bloomington, USA: Author House.

Husserl, E. (1982). Cartesian meditations: an introduction to Phenomenology. Boston, USA: Martinos Nijhoff Publishers.

Jodelet, D. (1998). A alteridade como produto e processo psicossocial. In: ARRUDA, A. (Ed.). Representando a alteridade, (pp. 47-67). Petrópolis, Brazil: Vozes.

Karam, F. (1997). Jornalismo, ética e liberdade. São Paulo, Brazil: Summus.

Lago, C. (2014). Ensinamentos antropológicos: a possibilidade de apreensão do “outro” no jornalismo. Brazilian Journalism Research, 11(2), 172-187.

Lévinas, E. (1971). Totalité et infini: essai sur l’exteriorité. Hague, Netherlands: Kluwer Academic.

Lévinas, E. (1982). Ética e infinito. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Lévinas, E. (1987). De otro modo que ser, o más allá de la esencia. Salamanca, Spain: Ediciones Sígueme.

Lévinas, E. (1999). Alterity and transcendence. Londres, Inglaterra: The Athlone Press.

Lévinas, E. (2010). Entre nós: ensaios sobre alteridade. Petrópolis, Brazil: Vozes.

Marcondes Filho, C. (2016). Alterity, machines and Eros: a new vision of communication as an event. In: Gunkel, D. J.; Marcondes Filho, C.; Mersch, D. (Eds.). The changing face of alterity: communication, technology, and other subjects, (pp. 89-102). New York, USA: Rowman & Littlefield International.

Martino, L. M. S. (2016). Epistemologia da alteridade: entre explicar e compreender outrem. Líbero, 19(37), 101-108.

Meditsch, E. (2001). Gêneros de discurso, conhecimento, intersubjetividade, argumentação: ferramentas para uma aproximação à fisiologia normal do jornalismo. Anais do X Encontro da Compós, Brasília: Compós.

Merleau-Ponty, M. (1968). La structure du comportement. (6th ed.). Paris, France: Presses Universitaires de France.

Merleau-Ponty, M. (2011). Fenomenologia da percepção. (4th ed.). São Paulo, Brazil: Martins Fontes.

Motta, L. G. (2013). Análise crítica da narrativa. Brasília, Brazil: Editora da UnB.

Nussbaum, M. (2001). Upheavals of thought: the intelligence of emotions. Cambridge, UK: Cambridge University Press. Tradução nossa.

Peres, A. C. (2016). Narrar o outro: notas sobre a centralidade do testemunho para as narrativas jornalísticas. Galáxia, (31), 92-104.

Prado, J. L. A.; Bairon, S. (2007). A invenção do Outro na mídia semanal. In: Lago, C.; Benetti, M. (Eds.). Metodologia de pesquisa em jornalismo, (pp. 251-278). Petrópolis, Brazil: Vozes, 2007.

Quicherat, L.; Saraiva, F. R. (1927). Novíssimo diccionario latino-portuguez. (11a ed.). Rio de Janeiro, Brazil: Garnier.

Reginato, G. D. (2016). As finalidades do jornalismo: o que dizem veículos, jornalistas e leitores. PhD Dissertation in Communication and Information, UFRGS, Porto Alegre.

Resende, F. (2009). O jornalismo e suas narrativas: as brechas do discurso e as possibilidades do encontro. Galáxia, (18), pp. 31-43.

Resende, F. (2011). Às desordens e aos sentidos: a narrativa como problema de pesquisa. In: Silva, G. et al (Eds.). Jornalismo contemporâneo: figurações, impasses e perspectivas, (pp. 119-138). Salvador, Brasil: EDUFBA; Brasília, Brazil: Compós.

Resende, F. (2014). Representação das diferenças no discurso jornalístico. Brazilian Journalism Research, 10, pp. 59-76.

Ricoeur, P. (1986). Du texte à l’action: Essais d’herméneutique II. Paris, France: Le Seuil.

Ricoeur, P. (2006). Percurso do reconhecimento. São Paulo, Brazil: Loyola.

Ricoeur, P. (2008). O Justo I: a justiça como regra moral e instituição. São Paulo, Brazil: Martins Fontes.

Ricoeur, P. (2010). Tempo e narrativa. Tomo I. São Paulo, Brazil: Martins Fontes.

Ricoeur, P. (2014). O si-mesmo como outro. São Paulo, Brazil: Martins Fontes.

Ricoeur, P. (2015). Memory, history, oblivion. In: Kearney, R.; Treanor, B. (Eds.). Carnal hermeneutics, (pp. 148-156). Nova York, USA: Fordham University Press.

Romdenh-Romluc, K. (2011). Merleau-Ponty and phenomenology of perception. Nova York, USA: Routledge.

Sodré, O. (2007). Percurso filosófico para a concepção de alteridade. Síntese, 34(109), 157-184.

Traquina, N. (2012). Teorias do jornalismo: por que as notícias são como são. V.1. Florianópolis, Brazil: Insular.

Treanor, B. (2006). Aspects of alterity: Lévinas, Marcel, and the contemporary debate. Nova York, USA: Fordham University Press.

Wispé, L. (1986). The distinction between sympathy and empathy: to call forth a concept, a word is needed. Journal of Personality and Social Psychology, 50(2), pp. 314-321.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v13n2.2017.989

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.