O Escândalo Político como experiência narrativa

Helder Prior

Resumo


O trabalho sobre a experiência narrativa do escândalo político procura abordar as relações entre o campo do jornalismo e os pressupostos da narratologia. Procuraremos estabelecer um quadro teórico e conceptual de análise dos escândalos político-mediáticos tendo em conta o papel dos meios de comunicação na reconfiguração do acontecimento em intrigas inteligíveis para o leitor. Na nossa perspectiva, os escândalos políticos são narrativas complexas que se desenvolvem na imprensa, podendo ser interpretados como “estórias” que têm um enredo, episódios principais e secundários, personagens, e efeitos de sentido inerentes ao trabalho plásticos do medium no momento de converter o fenómeno numa experiência mediática. Na parte final, oferecemos ao leitor um esquema teórico e conceptual de desconstrução hermenêutica e pragmática do escândalo mediático, colocando em evidência o valor expressivo do escândalo e a componente esteticizante que ele revela. 


Palavras-chave


escândalo; narratividade; intrigas mediáticas

Texto completo:

PDF

Referências


AA.VV. Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Lisboa: Calouste Gulbenkien, 2011.

ADAM, J.M, Le Récit, Paris: Presses Universitaires de France, 1984.

ADAM, J-M; Revaz, F. A Análise da Narrativa, Lisboa: Gradiva, 1997.

APOSTOLIDES, P: WILLIAMS, J.A, Public Affairs, Politics in the Age of Sex Scandals, London: Duke University Press, 2004.

ARISTÓTELES. Poética, Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2005.

BARTHES, R. O Prazer do Texto, Lisboa: Edições 70, 1973.

BIRD, E. DARDENNE, R. “Mito, Registo e Estórias: explorando as qualidades narrativas das notícias”, in TRAQUINA, N. (Org), Jornalismo, Questões, Teorias e “Estórias”, Lisboa: Veja, 1999.

BREMOND, C. A Lógica dos Possíveis Narrativos, In BARTHES, R. Análise estrutural da narrativa, Pétropolis: Vozes, 1971.

BOURDIEU, P. Sobre a Televisão, Oeiras: Celta Editora, 1997.

CONDORCET. Esquisse D’un Tableau Historique des Progrés de L’Esprit Humain, Paris: J Vrin, 1970.

DAMPIERRE, E, de. “Thémes por l’étude du scandale”, in Annales, Économies, Sociétés, Civilisations, 9e année, Nº 3, 1954.

DERRIDA, J; STIEGLER, B. Échographies de la télévision, Paris: Galilée, 1996.

KANT, I. A Paz Perpétua e outros Opúsculos, Lisboa: Edições 70, 2004.

LAZARSFELD, P; MERTON, R. “Mass Communication, Popular Taste and Organized Social Action”, in BRYSON, L. The Communication of Ideas, New York: Harper and Row, 1948.

LIPPMANN, W. La Opinión Pública, Madrid:Editorial C. de Langre, s/d.

LITS, M. Du Récit au récit médiatique, Bruxelle: De Boeck, 2008.

LOWI, T. “Prefácio”, in MARKOVITS, A; SILVERSTEIN, M. (org), The Politics of Scandal: Power and Processes in Liberal Democracies, New York: Holmes&Meier Publishers, 1988.

MARKOVITS, A; SILVERSTEIN, M. (org), The Politics of Scandal: Power and Processes in Liberal Democracies, New York: Holmes&Meier Publishers, 1988.

MOTTA, L.G, “Análise Pragmática da narrativa jornalística”, in LAGO, C. ; BENETTI, M. Metodologia da pesquisa em jornalismo, Petropólis: Vozes.

MOTTA, L.G, Análise Crítica da Narrativa, Brasília: Editora UNB, 2013.

PROPP, V. Morfologia do Conto Maravilhoso, Rio de Janeiro: Forense, 1984.

PRIOR, H. Esfera Pública e Escândalo: o secreto no âmbito público, Tese de Doutoramento, Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2013.

RICOEUR, P. Temps et Récit I, Paris: Le Seuil, 1983.

RICOUER, P. Temps et récit III, Le temps raconté, Paris: Le Seuil, 1985.

RICOEUR, P. Historia y Narratividad, Barcelona: Paidós, 1999.

RODRIGUES, A.D. O campo dos Media, Discursividade, Narratividade, Máquinas, Lisboa: Veja, 1984.

STAROBINSKY, J. “L’arbre du savoir et ses metamorphoses”, in Encyclopédie de Diderot et D’Alembert, Essais et Notes, Milão: Franco Maria Rici, 1979.

SCHMITT, C. Los Fundamentos histórico-espirituales del parlamentarismo en su situación actual, Madrid: Tecnos, 2008.

SEARLE, J.R, The Philosophy of language, Oxford: Oxford University Press, 2004.

TODOROV, T. “Las categorias del relato literário”, in Analisis Estructural del Relato, Barcelona: Ediciones Buenos Aires, 1982.

TODOROV, T. As estruturas narrativas, São Paulo: Perspectiva, 1970.

THOMPSON, J. B. Political Scandal, power and visibility in the media age, Cambridge: Polity Press, 2000.

TUCHMAN, G. “Contando estórias”, in TRAQUINA, N. (Org), Jornalismo, Questões, Teorias e “Estórias”, Lisboa: Veja, 1999.

TUCHMAN, G. “As notícias como uma realidade construída”, in ESTEVES, J.P. Comunicação e Sociedade, Lisboa: Livros Horizonte, 2002.

VATTIMO, G. A Sociedade Transparente, Lisboa: Relógio D’água, 1992.




DOI: https://doi.org/10.25200/BJR.v11n2.2015.722

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da versão online: 1981-9854

ISSN da versão impressa (descontinuada a partir de 2008): 1808-4079



Datas de publicação da revista

30 de abril - 30 de agosto - 30 de dezembro

 

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.